News

A Amaratá é uma marca que utiliza a fabricação digital e o design paramétrico para a criação de acessórios. A arquiteta portuguesa Carolina Cardoso é quem assina as criações. Ela conta que sempre se interessou por design e artes plásticas, então foi experimentando novas técnicas e materiais. A marca, criada no mês passado, começou suas atividades no Garagem Fab Lab, em São Paulo. "Foi lá que aprendi tudo que sei sobre fabricação digital e onde percebi que os materiais descartados poderiam ganhar novas formas", resume Carolina. 

Todo o material é uma oportunidade e a reutilização dos materiais potencializa a nossa criatividade.

Amarata Carolina Cardoso 2

 

Os Fab Labs são espaços que facilitam o encontro entre profissionais e estudantes, makers e empresas, entusiastas e especialistas. Eles oferecem espaço, máquinas, ferramentas e todo o apoio necessário para o desenvolvimento de produtos e ideias. O Garagem Fab Lab pertence à rede mundial Fab Lab, que foi iniciada no MIT, é o primeiro independente, com acesso aberto à comunidade. 

Na primeira coleção da Amaratá os materiais usados foram basicamente os acrílicos e madeira, na segunda coleção as peças também são feitas de PLA, que é o plástico biodegradável usados nas impressoras 3D e reciclado. Segundo Carolina, há muito tempo um familiar viajou de Portugal para o Brasil e viveu na cidade de Maratá, no Rio Grande do Sul. Quando retornou a Portugal ele adotou 'Maratá' como seu sobrenome. O significado é lugar onde os elementos água e solo, entram em choque, num eterno combate em homenagem à natureza.

O mundo tem sobras demais e a reutilização de materiais sempre esteve presente na minha vida. Então, faz todo sentido a Amaratá ter surgido a partir disso: transformar sobras em coisas novas. 

 

Amarata Carolina Cardoso 3Amarata Carolina Cardoso 4
 

 

"Sempre procurei novas formas de expressão, adoro misturar técnicas e materiais e a fabricação digital permite-me criar com mais dinamismo", revela Carolina. Ela conta também que o desenho da primeira coleção teve uma forte influência indígena, por ser apaixonada pela geometria étnica e porque a coleção é uma homenagem ao nome Maratá. 

Em breve, será lançada uma nova coleção, inclusive com novos materiais. Também está nos planos de Carolina disponibilizar as peças em uma loja física, permitindo ao público sentir a leveza das peças e a textura do material. Como a marca tem pouco mais de um mês, por enquanto os pedidos são feitos sob encomenda, via e-mail ou pelo site. "Acho muito importante sentir o feedback das pessoas antes de dar os próximos passos. É essencial saber o que o público mais gosta e se identifica. Sem pressa vou abrindo portas, mas sempre com leveza e liberdade para experimentar novas técnicas, materiais e processos".
 
Estou super feliz com o resultado, as pessoas estão adorando e isso é o mais importante.
 
Amarata Carolina Cardoso 5

 


 
Fonte: Amaratá
Fotos: Divulgação
Modefica Capa

O evento acontece nos dias 6 e 7 de julho, em São Paulo com rodas de conversa e workshops.

CC FLNcapa

A segunda ediçao do workshop acontece 02 de setembro em Florianópolis.

RL CAPA

O projeto conecta iniciativas e pessoas que buscam uma relação mais consciente, carinhosa e cuidadosa com o que vestem.

SCMC CAPA

Estudantes dos cursos de moda e design (gráfico e produto) das universidades conveniadas ao SCMC podem fazer as inscrições até 07 de agosto.

Junte-se a outros profissionais criativos e empresas. Cadastre-se grátis!