Entrevistas

Antonio Guerra 1

Antonio Guerra é um compositor, arranjador e pianista, que empresta seu nome ao sexteto onde toca com Ivan Machado, André Siqueira, Theo Zagrae, Alfredo Machado e Joana Queiroz. Antonio fez intercâmbio no exterior, onde estudou música e chegou a gravar algumas de suas composições. O grupo toca com muita alegria e amizade, cada um respeitando e valorizando o espaço do outro. As músicas de Antonio Guerra parecem ser feitas com esse propóstito, facilitar a expressão do artista. Nesta entrevista você vai conhecer um pouquinho mais sobre Antonio Guerra e o Sexteto.

 

Agradeço muito poder viver de tocar, compor, gravar...
 
Como surgiu o sexteto e como o grupo é formado?
Eu tinha acabado de voltar de um intercâmbio na Suécia, neste tempo, havia mergulhado numa profunda imersão musical: em composição, improvisação e pesquisas . Lá, gravei com os suecos algumas de minhas composições, que já haviam sendo trabalhadas no Grupo Zanzibar, formado por amigos músicos no Brasil. O resultado foi muito legal. Gravei no estúdio da Ôrebro Univesitet, comportando oito instrumentos e gravando ao vivo, refletindo um som fresco e espontâneo. Lá trouxe a minha única peça para Quarteto de Cordas, chamada Distância e gravada pelo fabuloso Wirên Kartet. Quando retornei ao Brasil, depois de uns cinco meses, entrei para o conjunto da Mart'nália e conheci músicos maravilhosos. Convidado pelo grande contrabaixista Ivan Machado, tocávamos toda semana e fomos ganhando uma intimidade musical maravilhosa. De lá, André Siqueira, que é percussionista e Theo Zagrae, toparam participar do conjunto. Ivan, trouxe seu irmão, Alfredo Machado, que também havia tocado com a Mart'nália. Os dois irmãos, trouxeram muita maturidade ao sexteto. Theo e André, muito amigos, trouxeram uma liga enorme na parte rítmica. Aí pensei na Joana Queiroz, uma das primeiras pessoas que deram força para eu me profissionalizar como instrumentista, trazendo toda a sua leveza e feminilidade ao tocar. A história do Antonio Guerra Sexteto, foi parcialmente contada no meu "Teaser".
 

Além de emprestar o nome ao sexteto, você também é compositor. Como é o processo de criação das músicas?
Creio que as minhas músicas funcionam bem por serem fáceis de tocar e serem muito abertas à expressão do artista que estivar tocando. As melodias muitas vezes são espaçosas e convidativas para os solistas e para a base rítmica. Apesar de ser estudioso, não costumo me alongar muito nas minhas composições. A ideia vem e eu a sigo com simplicidade. Já, quando escrevo arranjos, costumo ser mais meticuloso.     
 
Este ano temos um disco para lançar: "Antonio Guerra "Movimentos". 
 
O grupo é muito eclético, em relação aos estilos musicais, isso vem da personalidade e gostos pessoais de cada um de vocês? 
Com certeza. Considero que o Antonio Guerra Sexteto é formado por grandes artistas, com grandes personalidades, e uma facilidade a servir quem está tocando ao lado. Por isso, sempre tocamos com muita alegria e amizade. 
 
Antonio Guerra 4
 
Piano, clarinete, contrabaixo, violão, percussão, bateria, esses instrumentos se revezam de acordo com a música ou vocês fazem variações? 
Esta foi a forma que achei de integrar artistas que adimiro e dar vida as minhas músicas, fazer shows etc. Porém, este ano lançarei meu primeiro disco "Movimentos", que têm o sexteto como base e muitos convidados. O interesse do disco é que cada faixa conte com uma formação diferente. É como se eu buscasse o que cada música estivesse querendo dizer particularmente.
 
As canções são todas ‘milimetricamente’ ensaiadas ou tem algum espaço para o improviso? 
Quase todas as músicas contam com espaços para improvisações. Adoro ver o artista se conectando com sua voz interior, no palco. Filtrando a energia do lugar, do mundo, em uma performance, que nunca será igual a outra. Mesmo na parte rítmica, dou sugestões, mas gosto de ver todos sendo verdadeiros consigo mesmo, tocando com prazer.
 
Antonio Guerra 7
 
Como tem sido a recepção do público para os espetáculos instrumentais? Por onde vocês têm passado levando o som de seus projetos? 
A recepção do público tem melhorado cada vez mais, o que me deixa muito instigado a seguir o meu caminho artístico. Gravei um disco fabuloso com o Bondesom, sexteto também, muito elogiado. Fiz um show recentemente em homenagem ao Guinga de Trio e agora vamos estrear no Teatro do Jóquei, a peça Encantados, na qual sou o diretor musical e compositor de grande parte da  trilha sonora.
 
Agradeço ao Exib.me pelo espaço dedicado aos artistas que estão emergindo, fortalecendo bastante o cenário cultural. Um feliz ano de 2015 a todos e que a arte continue alimentando a vida!
 
 
Fonte: Antonio Guerra
Fotos: Divulgação
 
 
 
 
 
 
 
 

Junte-se a outros profissionais criativos e empresas. Cadastre-se grátis!